sexta-feira, 13 de junho de 2008

Biopirataria:

A biopirataria consiste na apropriação indevida de recursos diversos da fauna e flora, levando à monopolização dos conhecimentos das populações tradicionais no que se refere ao uso desses recursos. O termo “biopirataria” foi lançado em 1993 pela ONG RAFI (hoje ETC-Group) tendo alertado sobre o fato dos recursos biológicos estarem sendo patenteados por empresas transnacionais e instituições científicas.
No Brasil este fato ocorre desde 1500, apartir do nosso lindo "descobrimento", pois os portugueses acabavam levando para seu país exemplares da nossa rica flora e fauna.
Nosso país também sofreu em 1876 com o contrabando de sementes de seringueira, árvore típica da amazônia, pelo inglês Henry Wickham, que tornou a Malásia a maior exportadora de látex do mundo. Não é só a perda financeira que interessa, muitas espécies podem se adaptar muito bem a sua nova "casa" e acabar por competir e extinguir espécies nativas.
O roubo de espécies nativas, visa a produção de essências de perfumes, cosméticos, anti-inflamatórios, soros, medicamentos antitumorais e a domesticação de plantas e animais para criadores de espécies exóticas, como aranhas e iguanas.
Os biopiratas geralmente passam despercebidos pois entram em nosso país como pesquisadores, ou turistas com aval governamental para pesquisas ou observações de nossos biomas, além disso contam com a boa fé de pessoas simples como matutos, mateiros indígenas que acabam nostrando o local exato do tesouro biológico.
Os animais e plantas são transportados escondidos em bolsos, carteiras e até canetas, de cada 10 papagaios retirados da floresta amazônica, 9 morrem no transporte. Abaixo cito uma lista de animais mais contrabandeados.
Mico-estrela (Callithrix jacchus)
Macaco-prego (Cebus apella)
Preguiça-de-três-dedos (Bradypus tridactylus)
Tamanduá-mirim (Tamandua tetradactyla)
Cascavel (Crotalus durissus)
Jacaré (Caiman latirostris)
Iguana (Iguana iguana)
Pássaro-preto (Gnorimopsar chopi)
Curió (Oryzoborus angolensis)
Papagaio verdadeiro (Amazona aestiva)
Cardeal (Paroaria dominicana)
Infelizmente a lei brasileira é omissa a entrada e saída de espécies do nosso país, sempre alertamos que ao comprar um animal nativo, você também está cometendo crime de receptação, quando quiser um animal de estimação procure sempre informações com o Ibama para você não contribuir com o sofrimento da fauna nacional.

6 comentários:

Heron disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Heron disse...

(Até uma continuação do comentário passado)

A corrupção desde o início do eterno da evolução já estava guardada dos genes humanos mesmo ainda não existindo concretamente.
A corrupção é geral, infelizmente o humano fraco não percebe na natureza a beleza da vida, na "bio". A maior maravilha do mundo e ele é próprio naturalmente, enquanto o artificial quebra a integridade da Gaia, bela e perfeita por si só. Antes viver 20 anos com o natural do que esses 60 anos ou sejá lá como for, com o artificial e brutalidade corrupta do mundo. (Ah, que mentira, um jovem falando besteiras e sem coragem de concretizar as idéias[?] Ou quem sabe mais tarde um adulto que concretize essas idéias)
Já se pode muito tempo atrás separar o homem com por exemplo dois subgêneros:
Homo (Asinus) sapiens e a outra com alguma característica boa Homo (Sapiens) sapiens sapiens, esse sim o racional. Perdoe-me pela transgressão das regras talvez... é só uma analogia.

Seres burros vivem, agem instintivamente e sem sabedoria. E me perdoem os "asinus" pela metáfora.

Há ainda os que percebem a própria fraqueza, e dá valor as virtudes.
Platão se mataria vendo este mundo(como exemplo). Socorro, não temos para onde fugir.

Oh! Somos loucos, queremos mudar o mundo! Oh! Somos loucos, acreditamos em Deus. Oh! Somos loucos, odiamos o mundo, Oh que pena!
Um louco que da biopirataria chega em Deus e em loucura, que idiota, que louco! Inútil...

Que sentido há na moral, na ética, se o sentido da vida é só na evolução? Matemos aqueles que não gostamos, não há sentido mesmo. Todos tem noção de um bem, por isso, um sentido. Se não há sentido, vamos viver de sexo comer matar e pronto, nada de mais, nada de trabalhar e de pensar.
Biopirataria, mais um problema, de milhares, pra que falar, pra que estudar?

Novamente me questiono, pra quê tudo? Oh, um louco...




---> Não são pensamentos do qual eu acredito e não são críticas que eu quero mostrar quem é errado e quem é certo, são somente idéias para se pensar. Até porque eu mesmo discordo de alguns pensamentos, sou difuso e subjetivo, por ainda não ter as idéias formadas, e que o estudo me complete. Abraço :D

raul disse...

Então professor sou o monitor(plazza) da noite q vc usou de sapo e tals moh micão em...

mais assim a humanidade nao tem pensado muito nas consequencias q tais atos q elas tomam pode ocasionar com as geraçoes futuras e tudo mais... mundo capitalista fdp faz com q as pessoas soh pensem em uma forma de obter lucro em cima de tudo e com isso muitos dizem q a soluçao é usar da natureza sustentavelmente exemplo a boticario q utiliza muito bem... mais e se com issu algum dia ocorrer um desiquilibriu e ferrar com tudo como vai ser?
Acho q sobre a natureza deveria ser pensado sem obter lucros... um pensamento meio louco para as pessoas q tem a mente voltada para o capitalismo ^^

Bárbara Amanda disse...

Adorei o texto da biopirataria... show!

=**

Bárbara - alfa toledo =)

vinicius disse...

Exelente texto professor, parabéns.
------
Brasil terra da corrupção, onde quem tem dinheiro ta na 1ª posição.

Guilherme disse...

Talvez se a lei brasileira permitise a criação de animais silvestres como permite a lei norte-americana, diminuiriam a porcentagem de mortes desses animais que hoje é de cerca de 90%.
Com um IBAMA visitando regurlamente os proprietarios desses animais e com uma lei rigorosa, para quem não copnseguise manter esses anmais em bons tratos, talvez parte do problema seria resolvido, ja que pela estatistica 60% desses animais são vendidos aqui dentro do país. Possuo um amigo que tem uma corn snake, ou cobra do milho, espécie norte-americana, e ele a trata muito bem, vejo até que sua cobra esta melhor com ele, do que se estaria em um zológico. Mas o caso que muitos discutem, e acho que é o caso do professor, é o que não se deve retirar animais de seus habitats, mas já que proibir essa prática é praticamente impossível, deve-se ter outra opnião para combater esse tráfico de seres vivos.

Alfa Cascavel.